Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘nestlé’

A reciclagem tem ganhado cada vez mais espaço no ambiente corporativo, mas uma empresa em especial resolveu colocar em prática de uma forma bastante criativa.
A Terracycle é um grupo global que recolhe embalagens usadas, as transforma em produtos desejados e ainda ajuda instituições de caridade.
Funciona assim: Nós, consumidores, guardamos as embalagens de empresas parceiras (Aqui no Brasil são: Nestlé, Pepsico, Tang, Perdigão e Suzano Papel) e levamos até um dos pontos de coleta. Por cada embalagem recolhida é doado R$0,02 para a instituição de caridade que você escolher.
 
Os produtos feitos de embalagens acabam ganhando um design moderno. Olha que bacana!

Os produtos da Terracycle podem ser comprados no Walmart, aqui!

Read Full Post »

90 anos de Nestlé

Depois de passar 2010 inteiro patrocinando a turnê de 50 anos da carreira de Roberto Carlos, a Nestlé entra em 2011 com um lindo comercial que comemora seus 90 anos no Brasil. A trilha, claro, é do Rei.

Em um minuto e meio, o filme mescla a história da Nestlé com a história do Brasil. É uma linda retrospectiva!

A cena que mostra Ayrton Senna junto com o trecho da canção “saudades eu senti partindo…” é de arrepiar.

Junto com o comercial foram veiculados anúncios em revistas de grande circulação (4 páginas de VEJA é para poucos, não?). Mas nada comparado ao filme.

Bom, com certeza, teremos muitas ações da Nestlé por aqui este ano!

Read Full Post »

Olá PessoALL! Tudo bem?

Uma moça muito querida pela maioria dos seres humanos completará 90 anos em 2011, mas as comemorações já começaram.

Leite Moça: 90 anos

Desde 1921 no Brasil (data também do início das operações da Nestlé no Brasil), o Leite Moça sempre teve sua latinha estampada pela camponesinha suiça conhecida por La Laitière.

Como o brasileiro é um povo muito criativo (todos deveriam fazer publicidade) já fomos logo apelidando o néctar dos Deuses de “Leite Moça”. A moda pegou e a marca foi incorporada ao rótulo.

A latinha evoluiu bastante. Encontrei esse vídeo, que é uma compilação bem legal das diversas formas e rótulos.

A partir de agora, o Leite Moça ganha site (de onde eu tirei grande parte das informações deste post), twitter e facebook. O conceito da nova comunicação passa a ser “Tudo o que te deixa feliz de verdade”.

O site traz bastante história, dados e receitas divididas em categorias, sendo uma delas “Momento a Dois”. Pensei que fosse encontrar uma receita composta de apenas uma latinha de leite condensado e…nada mais. Mas não, tem um monte de receitinhas deliciosas e mega calóricas por lá.

Além disso, foi criado um app super bacaninha, a tal da Latinha Interativa (que você pode baixar aqui), já campeã em números de download.

O conjunto de novidades compõe a campanha “Escolha ser Feliz de Verdade”, assinada pela W/McCann.

Ficam aqui meus parabéns e minha homenagem à Moça que é parceira de TPM e sempre tem aquela carga de endorfina extra nas horas de sufoco.

Espero que tenham gostado!

That’s all, Folks!

Read Full Post »

Há cerca de 15 dias o KitKat ganhou um sabor amargo. Tudo começou com este vídeo:

Produzido pelo Greenpeace, o vídeo exige que a Nestlé pare de usar o óleo de dendê – também chamado de óleo de palma – já que, a conversão do uso do solo de mata virgem para o plantio de palmáceas é  tida como a principal responsável pela destruição das florestas tropicais da Indonésia – atingindo as comunidades locais e colocando os oragotangos nativos à beira da extinção.

O problema é que o tal óleo é um dos principais ingredientes dos chocolates da Nestlé, entre eles o KitKat. Surgiu assim a campanha Nestlé Killer, que utiliza tipografia e logo do famoso chocolate para chamar a atenção da sociedade.

A campanha contou também com protestos de ativistas na frente dos escritórios da Nestlé na Inglaterra, Holanda e Alemanha.

Em resposta, a Nestlé deu aos marketeiros e publicitários de plantão a valiosa lição de “como-não-se-deve-fazer-em-caso-de-crise”:

1) JAMAIS TENTARÁS EXCLUIR UM VÍDEO DA WEB
A empresa pediu para que o YouTube tirasse o vídeo do Greenpeace do ar,(tsc, tsc). Como muita gente já tinha repostado, ele começou a pipocar em diversas contas e ficou impossível de ser eliminado. Lembram do caso Cicarelli? Quanto mais proibido, mais procurado o vídeo é. Tanto que até agora mais de 600 mil pessoas já assistiram.

2) NÃO SERÁS MAL-CRIADO COM TEUS CONSUMIDORES
Os usuários do Facebook visitaram a página da Nestlé para perguntar se a empresa iria parar de comprar de fornecedores que desmatam para plantar dendê e receberam respostas mal-educadas. Apesar da tentativa da Nestlé de abafar o caso, inúmeros sites e blogs deram a notícia.

Qual foi o resultado de tantas atrapalhadas da Nestlé na tentativa de encobrir os fatos? Mais de 100 mil pessoas em todo o mundo enviaram ao presidente da empresa na Suíça, Paul Bulcke, uma carta apontando os problemas e pedindo soluções. Quer tirar o sono do homem também? Clique aqui e mande sua carta.

Quem continua achando que não pode fazer nada pelo mundo só porque não tem tempo hábil de ser um ativista daqueles que se penduram e protestam por aí ou porque não tem dinheiro para doações, a organização mostra que está enganado. Grande parte da mobilização desta campanha se deu graças ao cyberativismo.

E não é que funciona? A Unilever, que também já foi alvo do Greenpeace em campanha parecida, já cancelou seu contrato com a Sinar Mas, empresa que irresponsavelmente cultiva a palmácea e é um dos fornecedores da Nestlé.

Read Full Post »

17398364

Olá PessoALL!

O post de hoje vai para as MMS da Internet (Mãe, Madrinhas e Simpatizantes). Tudo muda na rotina de uma mulher quando uma pessoa em miniatura surge em sua vida. Até o ponto de vista acerca de certas publicidades voltadas ao público infantil pode mudar.

A grande preocupação com a formação sócio-cultural reside justamente nos primeiros anos da infância. O estímulo ao consumo, nesta época, pode ser responsável por tal hábito desenfreado em seres humanos.Mercado-Infantil-715133

Por mais presentes que as mulheres tentem ser na vida de seus filhos, sobrinhos, afilhados etc, nossas vidas atribuladas pelas jornadas duplas (e triplas também) não permitem que fiquemos 100% de olho nas comunicações que geram impacto na cabecinha dos pequenos. Por comunicação, entenda: mídia online, offline e “buzz” dos amiguinhos.

Segundo o Projeto Criança e Consumo, as crianças brasileiras influenciam 80% das decisões de compra de uma família. Esses dados configuram mais um motivo para nos preocupar com aquilo que chega ao imaginário dos filhotes e desemboca em “nossos” bolsos. Pense da seguinte maneira: nenhum investimento publicitário é feito (pelo menos não deveria ser) sem o cálculo do retorno (o famoso ROI). E em 2006, os investimentos publicitários destinados à categoria de produtos infantis alcançaram a marca dos R$ 209.700.000,00. Ui.

Outro detalhe importante: considere também que alguns anunciantes de produtos para adultos direcionam seus esforços para as crianças, buscando desenvolver nos baixinhos o lado influenciador. Mamães, puxem pela memória: alguma vez os filhotes já deram “pitaco” na compra do carro?

Por fim,  é fato consumado que as mães que trabalham se sentem culpadas por não dedicar 100% de seu tempo aos filhos. Mas não vou entrar no mérito da questão, o ponto aqui é muito mais complexo e deve ser discutido por alguém mais adequado. A discussão existe, basta googlar.

Como existe muita controvérsia sobre o tema Publicidade Infantil, algumas marcas vêm tomando providências. Veja a Nestlé, que anunciou mudanças na nova política de comunicação, em janeiro deste ano:

Nestlé divulga mudanças na publicidade para crianças

nestle

A Nestlé anunciou que vai adotar no Brasil, ainda este mês, a nova política de comunicação na publicidade infantil aplicada mundialmente pela empresa. Agora, as campanhas de produtos para crianças de até seis anos serão voltadas para os pais. As novas normas de publicidade praticadas pela Nestlé incluem ainda regras para crianças de até 12 anos. Segundo a fabricante, a comunicação deve encorajar a moderação no consumo, hábitos alimentares saudáveis e atividade física; não deve diminuir a autoridade dos pais; não deve criar expectativas irreais; não deve criar dificuldades na diferenciação do conteúdo do programa infantil e da publicidade; não deve utilizar personagens de programas que não sejam licenciados pela marca e pode promover atividades em escolas apenas com consentimento prévio da administração da escola, entre outras regras. Entretanto, na Europa, as restrições serão mais abrangentes. A empresa, assinou o termo de compromisso EU-Pledge, a exemplo de outras grandes corporações da indústria de alimentos como Burger King, Genral Mills, Coca-Cola, Danone, Ferrero, Kellogg´s, Kraft, Mars, Pepsico e Unilever. Juntas, essas empresas representam mais de 50% do mercado de publicidade na União Européia. Os termos são rígidos e voluntários, com apenas dois critérios mínimos: ausência de publicidade de produtos para crianças abaixo de 12 anos em TV, mídia impressa e internet, com exceção de produtos com específica característica nutricional e comprovação científica desses benefícios e ausência de comunicação relacionada a produtos em escolas infantis, salvo se houver solicitação ou aprovação da própria escola.

Na verdade, as indústrias de alimentos tiveram de ceder às pressões por conta do aumento da obesidade infantil que, segundo a OMS, já é um problema de saúde mundial por conta dos alimentos industrializados. Em vários países, como a Inglaterra e os Estados Unidos, campanhas publicitárias de produtos para crianças e adolescentes estão sendo suspensas e os governos estudam medidas de controle ainda mais rígidos (leia mais aqui). No Brasil, está em tramitação o Projeto de Lei 1637/07, do deputado Carlos Bezerra (PMDB-MT), que institui regras para a publicidade de alimentos com elevados teores de açúcar, gordura saturada, gordura trans e sódio, além de bebidas com baixos valores nutricionais. A publicidade dessses alimentos, se o PL for aprovado, ficará totalmente proibida a transmissão durante programação infantil. Com informações do Meio&Mensagem.

Neste caso, um dos fatores decisórios foi a problemática da obesidade infantil. Assunto para um próximo post, talvez?

Caso alguém se lembre de algum case famoso ligado ao assunto… Nuestro Blog, su Blog!

That’s all, Folks!

Read Full Post »