Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘KitKat’

Há cerca de 15 dias o KitKat ganhou um sabor amargo. Tudo começou com este vídeo:

Produzido pelo Greenpeace, o vídeo exige que a Nestlé pare de usar o óleo de dendê – também chamado de óleo de palma – já que, a conversão do uso do solo de mata virgem para o plantio de palmáceas é  tida como a principal responsável pela destruição das florestas tropicais da Indonésia – atingindo as comunidades locais e colocando os oragotangos nativos à beira da extinção.

O problema é que o tal óleo é um dos principais ingredientes dos chocolates da Nestlé, entre eles o KitKat. Surgiu assim a campanha Nestlé Killer, que utiliza tipografia e logo do famoso chocolate para chamar a atenção da sociedade.

A campanha contou também com protestos de ativistas na frente dos escritórios da Nestlé na Inglaterra, Holanda e Alemanha.

Em resposta, a Nestlé deu aos marketeiros e publicitários de plantão a valiosa lição de “como-não-se-deve-fazer-em-caso-de-crise”:

1) JAMAIS TENTARÁS EXCLUIR UM VÍDEO DA WEB
A empresa pediu para que o YouTube tirasse o vídeo do Greenpeace do ar,(tsc, tsc). Como muita gente já tinha repostado, ele começou a pipocar em diversas contas e ficou impossível de ser eliminado. Lembram do caso Cicarelli? Quanto mais proibido, mais procurado o vídeo é. Tanto que até agora mais de 600 mil pessoas já assistiram.

2) NÃO SERÁS MAL-CRIADO COM TEUS CONSUMIDORES
Os usuários do Facebook visitaram a página da Nestlé para perguntar se a empresa iria parar de comprar de fornecedores que desmatam para plantar dendê e receberam respostas mal-educadas. Apesar da tentativa da Nestlé de abafar o caso, inúmeros sites e blogs deram a notícia.

Qual foi o resultado de tantas atrapalhadas da Nestlé na tentativa de encobrir os fatos? Mais de 100 mil pessoas em todo o mundo enviaram ao presidente da empresa na Suíça, Paul Bulcke, uma carta apontando os problemas e pedindo soluções. Quer tirar o sono do homem também? Clique aqui e mande sua carta.

Quem continua achando que não pode fazer nada pelo mundo só porque não tem tempo hábil de ser um ativista daqueles que se penduram e protestam por aí ou porque não tem dinheiro para doações, a organização mostra que está enganado. Grande parte da mobilização desta campanha se deu graças ao cyberativismo.

E não é que funciona? A Unilever, que também já foi alvo do Greenpeace em campanha parecida, já cancelou seu contrato com a Sinar Mas, empresa que irresponsavelmente cultiva a palmácea e é um dos fornecedores da Nestlé.

Read Full Post »